MixTape #25 - Dad's Memories


Ontem foi dia dos pais. O primeiro sem o meu pai. Passei boa parte do dia pensando em diversos momentos que tivemos juntos e nas conversas que tínhamos. Eu e ele conversávamos muito sobre tudo. E bastante sobre música, mesmo tendo gostos bem opostos. Esta playlist é basicamente feita com artistas, músicas e letras que me fazem recordar dele. Espero que onde ele esteja, ele goste dessa seleção e das histórias que lembrei por conta das faixas que escolhi.



Survivor - Eye of the Tiger
Uma das minhas lembranças da infância era pegar o LP da trilha sonora do Rocky IV, se esticar na ponta dos pés e colocar o vinil na vitrola. E depois ficar imitando o personagem do Sylvester Stallone dando soco no ar. O aparelho de som era dos meus tios, mas o disco era do meu pai. Assim como os LPs do The Wall do Pink Floyd - que eu ficava viajando nas artes - e o Made In Japan do Deep Purple. Ele tinha um gosto bem curioso.

Green Day - Welcome to Paradise
Meu pai era uma das poucas pessoas que entendiam a minha paixão pelo Green Day. Tanto em 2010, quanto no ano passado, ele ficou feliz por me ver empolgado com os shows. E curiosamente lembro de duas histórias envolvendo nos três - eu, meu pai e o Green Day. A primeira foi que ele me deu carona até a loja de discos para eu comprar o Dookie em CD. A segunda é que a última vez que fui para Bertioga com eles, eu estava com o MP3 apenas com músicas da banda.

Carbona - Lindos Refrões Que um Velho Ensinou
Desde a primeira vez que ouvi essa música do Carbona, sempre associei ao meu pai. Na verdade, o refrão me faz lembrar do estilo de vida que ele sempre buscou: "Alegres, sorrindo, cantando, subindo, sentindo a vida, um guarda-sol e um pouco de bebida". Ele não bebia álcool, estava a mais de 20 anos no A.A. Mas não dispensava um dia na praia tomando água de coco e aproveitando o momento da melhor forma que pudesse.

Me First and The Gimme Gimmes - Hello
Minha mãe diz que quando conheceu meu pai, ele tinha o estilo do Lionel Richie. E lembro que quando eu era pequeno, ele tinha várias fitas K7 do cantor em casa. Quando eu ouvi essa versão de Hello feita pelo Me First and the Gimme Gimmes, logo mandei para ele ouvir pelo MSN. E só lembro dele respondendo: "Eita! Tomei um susto aqui com a música. Tive que abaixar o volume para não ficar surdo. Mas gostei bastante!".

Cazuza - Ideologia
Confesso que nunca gostei de Cazuza, mas por ser um dos artistas favoritos do meu pai, ele tinha que aparecer aqui. Quando eu começava a "estudar" punk rock, sempre comentava sobre os causos que eu lia nos livros. Principalmente, aqueles sobre os junkies. Lembro que um dia, ele virou para mim: "Rapaz... Você contando essas histórias me fez lembrar aquela frase 'meus heróis morreram de overdose'".

Incubus - Drive
Uma vez eu postei esta música naqueles antigos blogs que o pessoal tinha como um diário online no começo dos anos 2000. Eu e meu pai podíamos não nos falar sempre, mas ele acompanhava minha vida por lá. Alguns dias depois quando fui almoçar com ele, lembro dele elogiando a letra da música e que tinha adorado o refrão: "O que quer que o amanhã traga, eu estarei lá/ Com os braços abertos e os olhos abertos, sim/ O que quer que o amanhã traga, eu estarei lá / Eu estarei lá".

Charles Bradley - Victim of Love
Meu pai sempre gostou de soul music. No ano passado, quando soube que o Charles Bradley viria para o Brasil, eu pensei em levá-lo para assistir ao show comigo. Imaginei que seria uma experiência bem legal e ele entenderia minha paixão por shows. Uma pena que as apresentações foram canceladas e o Bradley faleceu alguns meses depois. Escolhi Victim of Love, pois acredito que seria uma música que ele ia adorar.

Chico Science & Nação Zumbi - Amor de Muito
Um dos poucos shows que assistimos juntos foi Nação Zumbi no Sesc Santos em 2007. Bom, ele ficou na arquibancada e eu fiquei na pista. No fim da noite, ele disse que adorou a apresentação e que até ficou com vontade de dançar. Escolhi Amor de Muito, porque é uma letra sobre uma pessoa (ou caranguejo) que se dedicou ao máximo pelo seu amor. E meu pai era esse tipo de pessoa.

Tim Maia - Pais e Filhos
Eu sempre digo que o maior objetivo do meu pai era uma música do Tim Maia: Sossego. Lembro de um dia que passamos uma tarde conversando sobre a biografia escrita pelo Nelson Mota. Foi curioso ver nossos pontos de vistas. Tentando escolher uma música que estivesse disponível no Spotify, encontrei Pais e Filhos. Pelo título, nem é preciso explicar como tudo se encaixou.

Armada e Sérgio Reis - Próxima Estação
Próxima Estação foi a primeira música que ouvi logo quando cheguei do enterro do meu pai. Foi um conjunto de emoções que rolou quando escutei. Certamente, era uma música que eu mostraria para por conta do encontro de uma banda punk com um cantor sertanejo. A letra veio no momento certo para confortar a minha perda, principalmente o refrão: "Nossa força vem/ Daqueles que nos ensinaram/ E não estão mais entre nós". E hoje, é isso que me mantêm seguindo em frente.

Postagens mais visitadas deste blog

Review: Armada - Bandeira Negra

MixTape da Semana #08

MixTape da Semana #04